domingo, 7 de outubro de 2012

Plymouth Terracuda by Foose

Olá, boa tarde,

Hoje, vamos falar um pouco da história desse Barracuda que se transformou em Terracuda. Como deu pra perceber no título, o nome do gênio do Tuning mundial tá ali marcando presença, então.. é com grande prazer, que hoje, eu falo pela primeira vez no blog de um projeto realizado pelo Chip Fosse.

Tudo começou por causa desse relógio Brietling aqui. Tá, e qual a ligação desse relógio com o carro? Bom, pra começo de conversa, esse não é um simples relógio. É um dos relógios mais caros do mundo, pra se ter uma idéia Jonh Travolta faz os comerciais dessa marca, e o Jonh Travolta não faz comerciais (exceto esse, óbvio). O dono do relógio (e do carro) tem uma pequena coleção de relógios, aviões e carros. E ele gasta o mesmo dinheiro com os 3. Ou seja, acaba sendo mais um dos casos de um cara que não tem onde enfiar todo o dinheiro que tem e resolve construir um carrinho.. bom pra gente!

Ele entrou em contato com Chip Fosse, mandou o carro e o relógio e disse “Faça os combinar”. Chip, que quase não é bom no que faz, virou praticamente um alquimista pra desenvolver essa cor ÚNICA e ESPECIAL desse carro. É um misto de dourado com marrom com sei lá. Ficou bom, ficou bonito, ficou perfeito pro carro e pronto. Isso é Foose.

Por dentro, algumas soluções interessantes, e a cor dominante não poderia deixar de ser o marrom também, lógico. O Chip trabalha muito bem com uma determinada temática. Ele acerta isso no começo do projeto, e segue até o fim sem fazer nenhuma alteração no conceito. Os mostradores e relógios no painel do carro, além de seguirem as cores, são como o relógio original que deu inicio a tudo.. Sem contar nos bancos do Shelby Cobra e os cintos da Crow Performance, extremo bom gosto.

Além de todo o desafio na parte estética, Foose se preocupa muito com a parte mecânica funcional do carro. Por exemplo o motor. Esse que tá ai, não é o original. O original é mais baixo e um pouco menor do que esse, então, a solução que o Chip encontrou pra fazer caber foi aumentar a distância entre-eixos e fazer um scoop no capô de argila até que depois ele foi artesanalmente transformado em aço. Abrigou certinho o motor, e faz parte da linha perfeita da grade frontal do carro.

Não divulgaram a potência produzida pelo motor, mas eu não faço que isso realmente faça diferença num projeto tão completo como esse aqui. Outras alterações aconteceram com o aumento do entre-eixos, como as suspensões dianteira (do Corvette C5) e a traseira (uma four-link criada pelo próprio Chip), além é claro de freios maiores da Baer.

Aqui embaixo você pode conferir a galeria das fotos do carro em todos os detalhes.

Fonte: Área de Descanso

Até mais,

Chapecó Kombi Clube

Nenhum comentário:

Postar um comentário